Resenha: Entre a culpa e o desejo - Sarah McLean

Entre a culpa e o desejo (O Clube dos Canalhas, livro 2), conta a história da Lady Philippa Marbury, a irmã de Penélope (Entre o Amor e a Vingança). 



" Seu próximo experimento científico? Entregar-se a um canalha!

Lady Philippa Marbury não é como as jovens de sua época. A brilhante filha do marquês de Needham e Dolby se preocupa mais com seus livros e experimentos do que com vestidos e bailes. Para ela, um laboratório é muito mais atraente que uma proposta de casamento, e é por isso que, ao ser prometida a um noivo com quem não tem nada em comum, Pippa tem apenas duas semanas para empreender seu último experimento: descobrir todos os prazeres e todas as delícias da vida antes de passar o resto de seus dias ao lado de alguém que ela mal conhece.

Como boa cientista que é, Pippa investiga a vida do homem que parece ser a cobaia ideal para realizar suas experiências: Sr. Cross, o atraente sócio do cassino mais famoso e cobiçado de Londres, um libertino cuja má-fama foi cuidadosamente construída sobre o vício e a devassidão. Um canalha perfeito para explorar suas fantasias e satisfazer sua curiosidade sem manchar sua reputação de moça de família.
Mas o que Pippa não sabe é que, por baixo das aparências, Cross esconde segredos obscuros e que, ao receber a proposta da garota, ele está diante de uma oferta que pode destruir tudo aquilo que durante anos ele se esforçou para proteger.
Terrivelmente tentado a se envolver nessa aventura que promete o mais puro prazer sem qualquer outra emoção, tudo o que Cross deseja é dar a Pippa exatamente o que ela quer, mas ele sabe que ninguém sai ileso do caminho da satisfação e, assim, Cross terá de usar cada miligrama de sua força de vontade para não perder o controle e resistir à tentação de entregar à jovem muito mais do que ela ousa imaginar. "





" Preciso me perder”, as palavras tão simples e decididas como da primeira vez em que ela as pronunciou, sem qualquer nervosismo."



Lady Philippa Marbury está prestes a se casar com um homem que não tem nada em comum com ela. Para conhecer mais, ela cria um um experimento científico e decide ir atrás de alguém que acabe com suas dúvidas em relação ao mundo masculino, por assim dizer.
Pippa vai atrás do Sr. Cross, um homem atraente e sócio do maior cassino de Londres e também amigo de seu cunhado, Lorde Bourne, marido de Penélope.


Pippa com certeza é uma das melhores personagens. É autêntica, inteligente, sabe o que quer e não desiste fácil e tem uma determinação admirável, apesar de ser ingênua em relação as coisas do mundo. Por mais que ela se considere estranha, isso é algo que encanta Cross, sua ingenuidade. Lady Philippa
vive perdendo seus óculos pelos cantos, me identifico nesta parte. 




" Em catorze dias eu vou casar com um homem com quem tenho pouco em comum. Vou fazer isso porque é o que esperam de mim como uma lady da sociedade. Vou fazer isso porque é o que toda Londres espera que eu faça. E vou fazer isso porque não acredito que haverá, algum dia, uma oportunidade de eu me casar com alguem com que eu tenha mais em comum. E, o mais importante, vou fazer isso porque concordei em faze-lo, e não gosto de desonestidade. "



Ao longo do livro conhecemos mais de Cross. No começo ele é bem fechado e demoramos para conseguir conhece-lo de verdade. Cross é um homem inteligente, sexy e vê em Pippa um charme que ela mesma não percebe em si.



A história chama atenção não pelas cenas de amor, mas sim pela química evidente entre Pippa e Cross. Um dos melhores casais, com certeza.
Claro, que leva um tempo para chegar as partes quentes. Cross lentamente seduz Pippa com palavras e nós, leitores, somos seduzidos juntos.





" Você gostaria que eu lhe dissesse onde mais a tocaria?”

"Sim, por favor.” As palavras foram um sussurro.

"Tão educada.” Ele se inclinou para frente. “Este não é lugar para educação, minha linda de óculos. Aqui, você pede e eu dou. Você oferece e eu pego. Nada de por favor. Nada de obrigado. "




O fato dos personagens terem química e serem divertidos, ajuda muito no desenvolver da história, por mais que algumas cenas sejam paradas, não é algo chato de ler. É confortável,  e encantador.
Eu me apaixono pela série a cada volume, sim é de época, mas em certos meios parece ser tão atual. Sarah McLean é divina, essa série é uma das melhores para mim.



" É aí que minhas mãos também estariam. Você consegue sentir o porquê? Consegue sentir o calor? A tentação?” Os olhos dela estavam fechados. Ela não conseguia olhar para ele. Mas concordou.
" É claro que você consegue... Eu mesmo quase consigo.” As palavras eram hipnóticas, cheias de tentação... suaves, líricas e maravilhosas. “E me diga, minha pequena anatomista, algum dia você já explorou esse lugar?”
As faces dela queimaram.




* Resenha feita em parceria com a Editora Guteberg. *

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: 101 dias com ele - Paula Oliveira